Monday, April 27, 2015

Big Think in the censorship business: Big Brother and 'Orwellian Rules of Writings'

NEW YORK - BIG THINK censors censorship article, suppresses unpleasant research: http://www.east-west-dichotomy.com/big-think-censorship-censors-orwellian-rules-of-writing-at-the-new-york-times/ #bigthink #nytimes #orwell #china

Article on US media censorship (style guides still advise: avoid foreign words) taken down by Big Think. Account closed. Profile deleted. Twitter blogged. More like Big Brother:

Critique of the NY Times's practice of Orwellian Rules of Writing and institutionalized suppression of foreign terms apparently isn't tolerated in New York media circles. New York Big Think, the knowledge platform, engaged in revisionism, took down the article, closed the long-time contributor's account, and terminated his profile. Censorship is wrong!

Wednesday, April 22, 2015

Philosopher Bazon Brock on the Hypocrisy in Western Media (MUST WATCH)

"The disgrace of 1989, 1991 (the fall of the Soviet Union), is that we thought we could do away with reality: Anything goes. We'll do what we want. The world is ours. They can do shit. We are doing the globalization. We are forcing anyone to submit to our point of view. And don't they ever dare to..." --Bazon Brock, philosopher

[GO TO QUOTE I]

Happy times with Xu Guangqi and the MPG-CAS Scientists at PICB in Shanghai 2007

SHANGHAI - 今年是徐光启和意大利人利玛窦合作翻译的《几何原本》中文版出版400周年,为纪念这一重要历史事件,中国科学院、上海市徐汇区人民政府、中国科学院上海生命科学研究院联合发起纪念徐光启的活动,于10月14日至19日由我所承办“徐光启《几何原本》中文译本出版400周年纪念会暨《计算生物学中的异同》国际学术研讨会”。来自德国、法国、英国、意大利、日本、韩国、美国、中国等国家,涵盖数学、天文、农业、社会学等研究领域的近30位科学家共聚上海,与上海地区的学生们一起,纪念徐光启的科学贡献,探讨现代前沿科学。这是国内首次举办国际性的徐光启纪念活动。[...]
作者:Susan Xu    新闻时间:2007-10-17
Source: http://www.picb.ac.cn/picb-dynamic/Desktop/news/news.jsp?ID=110&ntype=institute

Saturday, April 18, 2015

@NYtimes BUSTED Daniel A Bell #censored #westernvalues

Racism and Anti-China Policies at The New York Times

“Your students, Professor Bell, are all secretly reading Dr. Pattberg‘s essays on the liberalization of Chinese terminologies.” 

Daniel A. Bell, a professor of “political theory” (which really is the theory of power relations) at China’s Tsinghua University, is NOT helping correct scholarship, I claim, by prostrating himself before The New York Times‘s ‘Orwellian Rules of Writing’, and by (repeatedly)submitting China op-eds that are virtually, I mean linguistically and culturally, “Chinese-free”. {GO TO VIDEO}

Wednesday, April 8, 2015

Pattberg: O culto aos 'especialistas em China' (Pravda.RU)


PEQUIM - Há alguns anos, encontrei um alemão, em Harvard, que se vangloriava do próprio 'engajamento' na luta política, de uma palestra que daria em New York City, de como trabalhava duro a favor da liberdade para o Tibete e sanções contra a China. Que não havia direitos humanos na China - ensinou-me ele. Fiquei impressionadíssimo. Alertei-o para que não fizesse nada daquilo contra o nosso governo alemão, porque poderia ser condenado por traição. O homem balançou a cabeça com ar de profundo desprezo pela minha falta de fé democrática. 


Não é o único. Há um culto a intelectuais evangelizadores anti-China, no Ocidente, aqueles arrogantes cruzados determinados a construir golpes nas mais diferentes nações não ocidentais e usurpar quaisquer governos democráticos. 

Sobre a China, agem e falam como se estivessem acima da lei. Isso, porque entendem que o governo chinês seria corrupto, não eleito e comunista, vale dizer, ilegítimo. Assim sendo, por que alguém teria de respeitar o que a China faz, defende ou propõe? Além do mais, esses intelectuais evangelizadores pró-ocidente acham que ocidentais podem fazer o que bem entendam contra a China, porque os EUA comandam todo o aparelho de comunicação-propaganda 'midiática', o que sempre os salvará de qualquer dificuldade, caso haja. 

Os tais ditos 'especialistas' em China são hoje uma força política que faz oposição direta ao Partido Comunista. Formam ninhos e redes, com hierarquia muito forte e rígido código de ética: todos se autoelogiam uns os outros, 'retuítam' tuítes uns dos outros, fazem propaganda dos livros uns dos outros, e castigam furiosamente todos os 'traidores', que chamam de "elogiadores da China". 

Quando Yang Rui, âncora de um noticiário na rede CCTV, condenou as atividades de estrangeiros em Pequim, foi vítima de assassinato de reputação e, na sequência, mostrado por 'especialistas em China', em todo o ocidente, como exemplo do que acontece a quem se atreva a defender a China. 

No ocidente, grupos extremistas estrangeiros, de direita ou de esquerda, são atentamente monitorados e controlados. Mas que ninguém se atreva a controlar os imperialistas ocidentais. Alemães financiam separatistas chineses em Xinjiang; norte-americanos financiam separatistas no Tibete. Empresas da imprensa norte-americana até deslocam seus 'militantes' para Hong Kong, decididas a derrubar Xi Jinping, o presidente, a mulher dele e toda sua família. [...]